8.10.2014

Licença Paternidade


Petter está há quase seis meses de licença paternidade. Na última vez  em que o vimos, ele se preparava para viajar com  Janne. Ei-los, pai e filha, na foto acima.
Não, senhores, ele não está desempregado e tampouco está de férias.  Está mesmo de licença paternidade. No duro.
É que na Noruega, país onde vive, os pais têm direito a seis meses de licença, e as mães, a um ano. Re-pe-tin-do: um ano. Como pai e mãe ficam de licença sucessivamente, isso rende um total de um ano e meio em tempo integral com a criança.


Petter está longe do perfil  pai-estatelado-no-sofá-diante-da-TV. Ele teve de encarar seis meses, sozinho com um bebê - a mulher voltara a trabalhar . Definitivamente, Petter é um homem escandinavo: cozinha, passa, lava louça, aspira a casa, organiza a roupa na gaveta, troca fralda suja de cocô, dá banho, leva o bebê pra passear, faz as compras de supermercado. E  ainda encontra tempo para brincar com Janne.
Sim, mas e daí?
E daí, que hoje, dia dos pais, eu me lembrei que conheço alguns pais assim, exatamente como nosso amigo norueguês. Conheço o sargento Marcos, de Brasília, que faz faxina, passa roupa, e ainda tem de de combater o crime. Conheço o Giovanni, empresário de Belém, para quem os filhos são prioridade. E por fim, conheço o Fabrício, daqui de casa, que lava banheiro, limpa bumbum  sujo de caca e senta no chão para brincar de Barbie e monstro com as meninas. E tudo isso, sem jamais perder o bom humor.


E sei de pais  que acompanham este blog. Sim, este espaço é frequentado por homens, e eu me orgulho disso.  Apesar de cansados da labuta diária, da responsabilidade que repousa sobre seus ombros de provedores oficiais da família, esses homens fantásticos acham tempo para estimular seus filhos.

Se o cara deixa um comentário aqui, é porque foge ao perfil macho-chô-não-sabe-trocar-fralda-de-bebê.

Por isso, quero parabenizar esses leitores queridos, cada pai anônimo que entra aqui. Vocês são pais com P maiúsculo.

 Seus filhos são , de fato, privilegiados.

Parabéns a todos vocês, pais!!!!

3.31.2014

Circuito com panelas - equilíbrio

Na sua casa tem panela velha? Então dá para fazer uma brincadeira simples, mas de grande efeito.


Como se faz
Disponha panelas ou bacias resistentes de maneira a formar um circuito. Incentive as crianças a caminharem sobre as panelas.

 Benefícios
Este circuito é ótimo para desenvolver as reações de equilíbrio e a propriocepção (capacidade de reconhecer a localização espacial do corpo, sua posição e orientação, a força exercida pelos músculos, etc).

Pés descalços, please!
 O ideal é que as crianças façam a atividade descalças, para um maior desenvolvimento dos pés e maior sensação tátil.
 Nesse dia, porém, as meninas inventaram de fazer o circuito com sapatilhas, já tinham incorporado personagens, enfim. Tá valendo também.


 Para aumentar  o desafio, é só usar  utensílios de diferentes alturas. Ganhos psicomotores mil!


Se realizado sobre a grama, o circuito proporciona outras nuances de reações e sensações.

Esta brincadeira vai manter seus filhos ocupados por um bom tempo.


O da loja é mais bonito, colorido e texturizado. Todo profissional. Mas custa 1.290 contos, mermão.

 Mas sabem?  Panela velha é que faz comida boa. Sérgio Reis, meu querido, quanta sabedoria!


1.23.2014

Como ter um filho folgado


Você é daqueles  que sonham  em ter um filho preguiçoso, mas não sabe como?  Não se preocupe, é mais fácil do que imagina. Na maioria dos casos, basta seguir suas inclinações naturais. Preste atenção:

Passo 1Jamais aceite ajuda do seu filho

 Recuse sua ajuda nas tarefas domésticas. Quando ele pegar uma vassoura, todo solícito, para limpar aquelas migalhinhas no chão, reaja com indignação,  tome os utensílios das mãos dele e diga : "Caramba, desse jeito você vai espalhar ainda mais a sujeira! Me dê a vassoura, eu mesmo limpo isso!" .
Deixe claro que ele realmente não pode fazer nada de útil para ajudá-lo. Dispense toda e qualquer solicitude nesse sentido.
E não esqueça de dizer sempre: "Você não sabe fazer direito! Só  me atrapalha!"

Passo 2:  Faça por seu filho o que ele já pode fazer por si mesmo.

E daí se ele já sabe amarrar os cadarços? E daí se ele  tem coordenação motora para segurar uma colher? Amarre os cadarços e dê comida na boca  do coitadinho. Você faz mais rápido e melhor. E ainda tem uma vantagem: com você não tem lambança na hora do papá. Lembre-se: a vida já é muito corrida. Não dá pra perder tempo ensinando o pequeno a comer sozinho, a guardar os brinquedos e tirar o próprio prato da mesa.  Então faça tudo por ele, colega!

 Passo 3 - Destrua a iniciativa e a autoconfiança

Faça  as tarefas escolares e monte quebra-cabeças por ele.
Entregue logo as respostas de bandeja pro menino! Dite as redações e histórias que ele tem de escrever. E determine até como ele tem de brincar com seus brinquedos: "Não, Pedro. Esse brinquedo não é para empilhar. É para fazer assim, ó". Agora além de ter preguiça de agir, ele também terá preguiça de pensar.
Agindo assim você vai criar um tremendo acomodado. E como sabemos, acomodação não combina com genialidade. Gênios vão à luta e não desistem. Fazem muitas perguntas e perseguem incansavelmente as respostas. Mas você não ia querer um filho assim, não é?

Moral: Seu filho é seu tesouro. Poupe-o de toda e qualquer responsabilidade. Assim, quando a adolescência chegar,  ele fará exatamente aquilo que foi treinado a fazer: nada.

10.08.2012

Meu Bebê não Engatinha

"Meu bebê tem 8 meses e não dá sinais de que vai engatinhar, ele fica de bruços, chora, chora, se vira, rola, arrasta, mas nada de firmar as perninhas".

Quando um bebê não engatinha, ás vezes  pode significar pouca força na parte superior do corpo, ou baixo tônus muscular.  Entretanto, seu filho ainda está dentro da idade esperada para o engatinhar.

Estes exercícios   podem ajudar :

Rolar numa bola - 
(com uma bola de tamanho médio, 65cm de diâmetro, funciona melhor) . Coloque o bebê de bruços sobre a bola , segure o tronco dele e role a bola suavemente para os lados, para frente e para trás. Veja o vídeo abaixo, para entender melhor:
  Recomendo que nas primeiras vezes você faça movimentos mais suaves e lentos. Depois pode fazer na velocidade do vídeo, se o seu bebê gostar.


Brincadeira de  carrinho de mão - você segura as pernas dele para cima, enquanto as mãos permanecem no chão. Não precisa erguer muito, não, e você pode ficar ajoelhada. Se ele demonstrar cansaço, pare.

"Minha filha de 9 meses se arrasta sentada, mas não engatinha".

A preferência por se arrastar de bumbum, em vez de engatinhar sobre quatro apoios, pode ser indício de tônus muscular baixo. Neste caso, o exercício da bola, demonstrado acima, também pode ajudar. Entretanto, é recomendável procurar um fisioterapeuta pediátrico ou terapeuta ocupacional infantil, para que sejam tomadas todas as providências adequadas , a fim de melhorar o tônus muscular da criança.


7.20.2012

Lousa "mágica" caseira.


 Na sua casa tem um pedaço de papelão? Tem sobra de papel contact ou plástico transparente?

Sim? Então dá pra fazer um quadro "mágico" escreva-e-apague!

Basta revestir o papelão com papel contact transparente - função esta que pode ficar a cargo das crianças maiores:


 e está feito!


 Melhor fazer uma para cada filho, só assim se evitam as disputas.

Escreve e apaga quantas vezes quiser!

É bom, bonito, barato e ecológico! 

Se fizer pequena, pode levar em viagens de avião, navio, trem; se fizer grandona, dá pra afixar na parede e transformar numa baita lousa!

Aqui em casa, usamos canetas para quadro branco e papel contact de boa qualidade. Ficou perfeito!

E por aí como andam os filhos? Subindo pelas paredes? Ou é a mãe que anda subindo por elas?


6.06.2012

Se dependesse de mim, a casa era assim

Daí que hoje mostrei pro meu marido estes projetos  de decoração:

Escorregador  para desenvolver o equilíbrio!

Balanços  para os estímulos proprioceptivos

Circuito de madeira com redes e plástico reciclado!

Mas... necas, necas. Projeto indeferido:

_ Que é isso, Ana Júlia? Ficou doida?  Vai botar  mais tralha na sala?

Você percebe que extrapolou todos os limites, quando um sujeito mega diplomático usa termos como "doida" e "tralha" numa conversa.

 A tralha em questão é esta: espaldares, colchões, pufe gigante, prancha de equilíbrio, braquiador, etc e tal.

Foto meramente ilustrativa

Então, decidi que já era tempo de me mancar e resolvi desafogar a sala. Peguei as barras de equilíbrio, vulgo tranqueira, e fui pra quadra do prédio com as crianças. Molecada adorou!




MORAL:  Este post é só pra dizer que criança que mexe pouco, fica com as habilidades psicomotoras comprometidas. Equilíbrio, lateralidade, organização tempo-espacial, esquema corporal e coordenação são pré-requisitos para o sucesso escolar.  Criança que passa tempo demais na frente da TV, mais tarde vai ter dificuldade de leitura, concentração, raciocínio matemático. Os primeiros 6 anos de vida são decisivos na formação do indivíduo.

Related Posts with Thumbnails